Beatriz

Meu nome é Beatriz, sem sobrenomes porque não quero que me encontrem com facilidade no google, e tenho dezenove anos de puro nada ou, se preferir, de muitos livros, muitos filmes e pouca vivência realmente prática. Na verdade, sou uma pessoa que vive bastante no mundo das ideias, Platão me entenderia. Sou muito magra, por isso consigo voar quando estou chateada, o que é sempre, tudo o que preciso fazer é ir pra um lugar que tenha muito vento e BUM, estou voando. Ou, posso voar também apenas encarando o nada, o que faço sempre ao contrário da primeira opção, e pensando em como seria se eu fosse um pássaro qualquer e não tivesse que lidar com tanta chateação. 

Gosto de imaginar as coisas, até porque só assim tenho um pouco de ação (mentira), às vezes acontece uma coisa louca e eu saio da minha bolha introspectiva. Tenho poucos amigos, mas sou doida por eles e, segundo eles, sou estranha e tal demais, mas eles me amam também. Adoro cheetos daquele de requeijão, meu salgadinho preferido pra ser mais exata, o que é louco porque não conheço ninguém que goste dele; porém, contudo, todavia, tenho intolerância a lactose, ou seja, não posso comer. Adoro andar de ônibus e comer besteiras, e dançar sozinha quando não tem ninguém em casa, na frente do espelho; gosto de escrever, apesar de quase nunca o fazer aqui, principalmente contos, e to reaprendendo a escrever com a mão (SIM, LOUCO). Sempre compro agendas em fevereiro, ou seja, janeiro é como se não existisse pra mim. Sou pirangueira demais e fico juntando dinheiro pra nada exatamente, odeio provar roupas porque é difícil achar uma que caiba em mim e que tenha um bom custo-benefício (vide o pirangueira ali em cima). Não costumo falar muito com estranhos - e nem com conhecidos, pra falar a verdade - porque sou tímida demais, mas às vezes acontece de eu estar em um dia anormal e eu falo muito, e quando digo muito eu realmente quero dizer muito, bastante, demais.  Não consigo calar a boca e depois fico pensando o que a pessoa ta pensando de mim que me viu falar em um minuto o que nunca havia visto eu falar em mil anos de relação existente anteriormente.

Sou uma dog person e até acho que há um quê de mistério em quem tem gato, por isso às vezes gostaria de ter (adoro ter ar de misteriosa),  mas acontece que não vejo graça nesse bichinho. Amo rir, por isso tenho amigos muito engraçados, e também sou bastante quando to inspirada, o que é bem inusitado eu sei. Enfim. Tem um monte de coisa ainda que poderia falar sobre mim, mas ainda to tentando descobrir a maioria delas e, pra falar a verdade, to com preguiça de escrever aqui. Além do mais, mudo o tempo todo, então né. Complicated.